quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

300 - Um filme Machista!



"Quando o menino nasceu, como todo espartano ele foi inspecionado. Se fosse pequeno, franzino, fraco ou deformado: Teria sido descartado. Logo que ficou de pé, ele foi batizado no fogo do combate. Foi ensinado a nunca recuar, a nunca se render e que a morte no campo de batalha a serviço de Esparta era a maior glória que poderia alcançar na vida.
Com sete anos, como é de costume em Esparta, o menino foi tirado de sua mãe e mergulhado em um mundo de violência..."

"Fruto de 300 anos de uma sociedade guerreira para produzir os melhores soldados que o mundo já conheceu. A agogê, como é chamada, força o menino a lutar. O priva de alimento, o força a roubar e, se necessário, a matar. Pela verga ou pelo chicote, o menino foi punido e ensinado a não mostrar dor ou clemência.Foi testado constantemente e jogado na selva para usar sua inteligência e sua vontade contra a fúria da natureza.Essa foi sua iniciação..."

Apenas o começo do filme 300. Um dos filmes mais machistas já produzidos...

300 (2007)
Dirigido por Zack Snyder
Escrito por Zack Snyder, Kurt Johnstad, Michael B. Gordon e Frank Miller

"Não se nasce mulher, torna-se"
Simone de Bouvoir tinha merda na cabeça quando escreveu isso. Fato!
A história mostra exatamente que inúmeras culturas definiram os valores, virtudes e até mesmo os rituais de treinamento que os meninos devem passar para serem considerados como verdadeiros homens. Desde a antiguidade foram os meninos que foram construídos para serem homens. E é assim que começa um dos filmes mais machistas da década passada! Baseada na Obra de Frank Miller que foi baseada em um evento real: A batalha de Thermophilas.
Onde o Rei Xerxes empreendeu um ataque com centenas de milhares de soldados e que foram desafiados por poucos mais de 2000 soldados. Dentre eles: 300 Espartanos!

O filme já começa com o treinamento do Rei Leonidas, o qual é narrado mostrando um jovem menino sendo construido brutalmente em um guerreiro sem remorso que carregará nas costas todo o valor de uma sociedade. O treinamento acaba mostrando também a estratégia que será usada na batalha no decorrer do filme. Onde o grande lobo não pode passar por um buraco estreito demais e se torna completamente vulnerável.


O COMEÇO DE UM NOVO CONFLITO
Um dia, um mensageiro distante aparece nas portas da cidade trazendo consigo vários crânios de reis ainda adornando suas coroas. Sua mensagem é que Xerxes só exige uma oferta de terra e água. Para que Esparta se submeta a vontade Xerxes. Caso contrário: Também existe uma ameaça de escravidão e morte!
O que poucas pessoas parecem ter entendido no filme é que Esparta historicamente respeitou homossexuais e mulheres. E o respeito a mulher pode ser perfeitamente visto nesta parte do filme, onde a Rainha tem voz ativa garantida. Fato que chocou o mensageiro persa.

Lógico que Leonidas pensou no caso da oferta de Xerxes e resolveu matar aquele mensageiro filho do cu!
E com um chute que ficou na história do cinema: This is Sparta!!!


OS MESMOS INIMIGOS DE SEMPRE
Os Espartanos são uma perfeita visão sobre o próprio machismo em si.
E o filme mostra os valores e virtudes machistas sendo postos de forma contrária a velhos inimigos. Seus primeiros inimigos são os homens que fazem uso da covardia na politica. Mostrado pelo conselheiro Theron e toda a sua dissimulação ao mentir e cooperar com os persas.
Outros inimigos são os valores errados que são mostrados como sagrados. Que aparecem no filme na forma dos éforos: Velhos incestuosos que escravizam jovens moças para manipular as pessoas.
Leonidas claramente sente repulsa por todos eles...


TRAÍDOS
Os Espartanos foram traídos pelas próprias pessoas por quem estavam lutando. Foram traídos pelos seus políticos e pelos seus sacerdotes. Mas a pior traição veio de quem mais queria ser como um deles: Efialtes. Um guerreiro deformado que foi excluído do campo de batalha pelo Rei Leonidas.
Mas vale lembrar que Leonidas lhe ofereceu o serviço de buscar água e remover os corpos do campo de batalha. Efialtes, lógico, se vingou entregando o caminho pelo qual os Persas poderiam cercar os Espartanos. E tudo em troca de dinheiro, mulheres e uma roupa de soldado.

Mas se mantiveram em pé em seus valores até o final! Uma demonstração de força e honra que repercutiu pela história até os dias de hoje!


A RAINHA VIOLADA
Uma das passagens mais significativas deste filme ocorre justamente pela falta que os homens fazem na hora de defender as mulheres.
Quando a Rainha Espartana precisa fazer uso de um pacto secreto com Theron para que os políticos de Esparta aceitem defender a cidade.
A Rainha então é forçada a concordar com um ato da mais extrema violência contra uma mulher. Ela acaba concordando com nada menos que um estupro!

A cena é grotesca e causa mal estar em quem a vê pois se trata da humilhação a qual as mulheres acabam submetidas sem a presença de homens de valor.
Sem os valores e virtudes que formam os bons homens, só resta a má vontade e a covardia dos cruéis.
Ameaçada com a violência e a traição, a rainha acaba violada sem derramar uma lagrima...

"Isto não acabará rápido, você não sentirá prazer e eu não sou seu Rei."
 Theron.


PORQUE OS ESPARTANOS LUTARAM?
Porque os homens se tornam guerreiros machistas?

A resposta é que o mundo está cheio de pessoas ruins; Sejam homens ou mulheres. A verdade é que pessoas covardes usam a mascara da necessidade para praticar o roubo, a crueldade e o assassinato. E é por isso que meninos precisam ser formados como homens fortes de caráter.
Nossa sociedade machista cria os meninos para um dia se tornarem homens fortes com valores e virtudes inabaláveis. Capazes de lutar pelo que acreditam. E todo o peso de nossa cultura ensina valores baseados em moral e ética. E com moral e ética somos ensinados a lutar por mais do que nós mesmos. Mas lutar para proteger as pessoas que amamos; Nossas companheiras, nossos pais, nossa noção de justiça e nossos próprios filhos!

E assim, os espartanos resolveram lutar para proteger seu povo de uma ameaça eminente de escravidão e morte.


O AMOR DE PAI E FILHO
Artemis e Astinos são a representação máxima de relação entre pai e filho. Onde ambos lutam pelo mesmo ideal. Onde existe um respeito profundo mostrado no filme e a representação máxima da tragédia de Artemis ao perder seu valoroso e mais amado filho.
Artemis criou o seu filho com valores e virtudes sobre defender nada menos do que a liberdade e a vida de seu povo e Astinos se tornou um guerreiro valoroso que honrou isso até o fim!


COMO ELES LUTARAM?
Sem o machismo, sem uma noção real de uma masculinidade cheia de valores e virtudes; As pessoas que mais precisam ficam a mercê do pior tipo de comportamento humano. E por isso que 300 Espartanos se uniram em um plano suicida para defenderem seus lares, suas companheiras, seus pais e seus irmãos. E eles já entraram no conflito com tudo! A estratégia é lutar sempre unidos utilizando a tática da parede de escudos.
Eles lutaram de forma tão feroz que até mesmo pareciam os vilões do filme, tamanha emoção que eles sentiam ao matar persas.

Suas cenas de luta são épicas e merecem ser revistas hoje mesmo!
O filme mostra a eficiência de um exercito superior lutando em menor numero, mesmo contra animais, tecnologias desconhecidas e até mesmo contra um dos exércitos mais mortais já vistos na Asia: Os Imortais!

Mas depois de colocar o nome dos imortais a prova, os Espartanos conquistaram uma nova esperança para vencer!


E O FINAL DESTA HISTÓRIA?
O final deste filme fala sobre força, honra e sacrifício heroico! Valores Machistas que preservamos há milênios. É um final sobre a coragem de enfrentar a injustiça, a crueldade e a covardia!

"Não recuaremos e não nos renderemos. Essa é a lei de Esparta. E pela lei de Esparta, ficaremos para lutar e morrer.
Uma nova era começou. Uma era de liberdade.
E todos saberão que 300 espartanos deram seu último suspiro para defendê-la."
Leonidas

Tudo no filme faz sentido!
Quando o filme saiu, historiadores espumavam pela boca pelos erros históricos!
Coisas graves que iam desde a história do conflito, passando pelos animais selvagens usados em batalha, os monstros impossíveis e chegando ao cumulo do visual do próprio Rei Xerxes!

Mas a verdade é que tudo isso faz completo sentido pelo simples fato de que todo o filme é narrado pela visão do soldado Dilios! Que narrava o conflito como o máximo de enfodecimento! Além de que ele claramente nunca chegou a ver o Rei Xerxes, e por isso o descreveu como a Rainha do Irã!
Estamos vendo o filme pela visão de Dilios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário